FINANCIAMENTO COLETIVO: E ENQUANTO ISSO, NO BRASIL…

animartini_img_destaque_03312014

Artigo também disponível em Inglês

O Catarse, maior comunidade de financiamento coletivo do Brasil, realizou, em parceria com a empresa de pesquisa Chorus, um levantamento para entender o perfil das pessoas que investem neste tipo de projeto no nosso país. E o perfil típico é bastante sintomático: homem, morador do Sudeste, entre 25 e 30 anos, com renda de R$ 3 mil a R$ 6 mil mensais, funcionário de uma empresa privada da área de comunicação, administração ou tecnologia.

A pesquisa, batizada de Retrato do Financiamento Coletivo no Brasil, ouviu 3.336 pessoas, assinantes de newsletter e seguidores do Catarse em redes sociais, que responderam a um questionário entre 29 de agosto e 17 de setembro do ano passado. O estudo mostra que os projetos que despertam mais interesse dos financiadores, de acordo com a pesquisa, são aqueles que fomentam atividades artísticas e culturais de forma independente, escolhido como opção por 52% dos entrevistados. Este é o caso da ANIMARTINI, por exemplo.

Queremos, no entanto, chamar a sua atenção para um outro dado bastante importante: apesar de o usuário padrão, de acordo com a pesquisa, ter renda entre RS 3 mil e R$ 6 mil (29%), o grupo que forma a maioria das pessoas (64%) nessa rede coletiva de financiadores de projetos tem salário mais baixo, de até R$ 3 mil por mês.

Deixe aqui seu comentário

*